Alguns estados aumentam valor do cardápio após alta do preço da carne

Alguns estados aumentam valor do cardápio após alta do preço da carne

Restaurantes de estados como o Sergipe, tiveram um aumento médio de 20% nos menus após alta do preço da carne, que se iniciou no final de 2019. Conheça as alternativas.

 

A alta do preço da carne tem sido assunto desde o final do ano passado no Brasil. O Blog da CMV, inclusive, fez artigos sobre o assunto, que podem ser lidos clicando aqui.

No entanto, quando falamos dos efeitos do aumento do preço da carne, é importante entender quais as consequências práticas desse tipo de alteração econômica.

Isso serve tanto para os reflexos nas famílias e no que o brasileiro está colocando à mesa, quanto no mundo dos negócios.

Em um segmento como bares e restaurantes, a alta nos valores desse tipo de proteína pode ter um efeito direto, interferindo no preço de custo de diversos itens dos cardápios.

O resultado já pode ser notado em alguns pontos do país, conforme veremos a seguir.

Por que a carne ficou mais cara?

O aumento do preço da carne, como já discutimos em artigos anteriores, está relacionado ao surgimento de um novo e atrativo mercado consumidor, a China.

E o crescimento na compra de carne bovina pelos chineses fez com que produtores nacionais direcionassem o produto a esse destino, o que afetou, diretamente, na precificação em território nacional.

Restaurantes aumentam preço do cardápio

De acordo com informações do site da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel), com o aumento médio de 60% no valor da carne, alguns cardápios já estão refletindo a alteração no valor do produto final.

Em estabelecimentos em Sergipe, por exemplo, já estão notando menus com valores até 20% mais caros.

Representantes da categoria profissional afirmaram que o valor do filé mignon, no estado, passou de R$ 26 o quilo para R$ 50.

Além desse aumento específico da carne bovina, existem ainda consequências no preço de outras proteínas que costumam registrar alta em um movimento em cadeia, com base na oferta e na procura.

Se o preço dos cardápios está mais alto, ao menos em Sergipe, segundo dados da associação, ainda não é possível afirmar que o movimento nos estabelecimentos está menor. O fluxo de clientes, ao menos até o momento, não diminuiu.

Para manter o preço

Com o objetivo de não refletir o evidente aumento no preço da carne nos cardápios, bares e restaurantes estão fazendo uso de boas práticas para tentar conter os efeitos.

Uma dessas práticas é a do estoque de carne. A ideia é negociar bons valores diante da quantidade e, sob as corretas condições de armazenamento, garantir os ingredientes para o funcionamento do negócio.

Outra proposta é a da cotação, que deve ser constante. Buscar os melhores preços no dia a dia é fundamental para manter um bom andamento da gestão de compras do estabelecimento.

Inclusive, esse é um assunto que a CMV é especialista. Clique aqui e conheça mais sobre essa solução.