2019 foi o ano da proibição dos canudos. O que fazer?

2019 foi o ano da proibição dos canudos. O que fazer?

Durante os últimos doze meses, oitos estados e o Distrito Federal tiveram leis com a proibição dos canudos de plástico no Brasil. Saiba como os estabelecimentos estão convivendo com a mudança.

A proposta sustentável que, até pouco tempo atrás, estava apenas no âmbito teórico, cada vez mais está deixando o papel e fazendo parte do dia a dia das pessoas e, principalmente, na organização e planejamento dos estabelecimentos.

Hoje traremos alguns exemplos de mudanças que já aconteceram e foram aprovadas pelo legislativo de oito estados diferentes, mais o Distrito Federal.

Vamos falar sobre como se deram essas medidas e, é claro, como estão as adaptações e resultados dessa mudança.

Por que proibir os canudos de plástico?

Nos pedidos formais para a proibição de canudinhos feitos de material plástico, estão as questões ecológicas.

De acordo com o deputado responsável pela proposta no Estado de São Paulo, o canudo é considerado “um dos maiores problemas ecológicos contemporâneos”.

Nos dados que o representante cita em seu projeto de lei, se cada brasileiro fizer uso de um canudinho/dia, ao final de um ano, serão 75 bilhões de unidades!

O que preocupa nesse caso é o destino desse tipo de material. De acordo com o deputado estadual, esses resíduos plásticos acabam no mar e prejudicam o habitat e, ainda, a saúde de animais que entram em contato com esse produto.

Quais Estados proibiram canudos de plástico?

Os projetos de leis que proíbem a utilização de canudos de plástico em estabelecimentos já são realidade nos seguintes estados:

  • Acre
  • Espírito Santo
  • Goiás
  • Maranhão
  • Mato Grosso do Sul
  • Rio Grande do Norte
  • Santa Catarina
  • São Paulo
  • Distrito Federal

E se o seu estado não figura na listagem, basta acompanhar o movimento das assembleias legislativas locais: em todo o território brasileiro, uma reportagem recente feita pelo jornal Folha de S. Paulo não encontrou projetos em tramitação, apenas, em Rondônia.

Quais as alternativas ao canudinho para donos de bares e restaurantes?

Os proprietários e gestores de estabelecimentos possuem algumas opções como alternativas aos canudos feitos de plástico.

O canudo de papel é uma opção simples, feitas de recursos renováveis e biodegradáveis.

As opções de metais são mais caras e, muitas vezes, inviáveis ao estabelecimento. No momento, está em andamento uma transição para que o consumidor passe a levar o seu canudo de metal, acompanhado da escova para higienizá-lo.

Há, ainda, opções menos populares em vidro, bambu e os canudos comestíveis.

As dificuldades para os gestores

Órgãos como a Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel) são críticos à forma como essa legislação está sendo aplicada.

De acordo com a entidade, a lei não teve uma discussão prévia necessária e “colocou o problema nas mãos dos empresários do setor”.

Dentre os pontos negativos dessa medida, segundo a associação, estão prejuízos econômicos e dificuldades na operação.

Conheça mais notícias e alternativas para a gestão de bares e restaurantes no site da CMV.